I.A. e diabetes o que eles têm em comum?

22 maio
Como a IA pode ajudar no controle da diabetes

Image by Freepik

Conheça como a tecnologia de Inteligência Artificial pode ajudar pacientes que sofrem com diabetes.

 

                                                                                                                                                                                                                                                                  Por Amanda Watanabe

De um lado temos a inteligência artificial, uma tecnologia bastante aplicada em inovações hoje. Inclusive, já falamos aqui sobre como ela está impactando o cotidiano das pessoas em diversos setores da sociedade. De outro, temos a diabetes que afeta mais de 13 milhões de pessoas no Brasil.

Como duas coisas tão distintas podem se relacionar?

A resposta é clara: dados, dados e dados! Diabéticos do tipo 1 precisam medir seus níveis de glicose no sangue diariamente e várias vezes durante esse mesmo dia. Um sistema de I.A. pode facilmente armazenar todas as informações de cada medição, e com elas poder analisar e gerar insights para o cuidado do próprio paciente no futuro. Dessa forma, ele é capaz de prever a ocorrência de uma hipoglicemia muito antes dela acontecer, dando ao usuário a possibilidade dele se preparar para a ocorrência.

Além disso, pela extensa capacidade cognitiva da inteligência artificial, o sistema poderia ser abastecido com um número vasto de estudos e informações sobre a doença, de modo a atuar como um assistente para pacientes, pelo qual eles tirariam dúvidas sobre suas condições, ações remediativas e qualquer outra pergunta relacionada a doença. Essas respostas viriam de maneira espontânea, sendo uma comodidade para o paciente que não precisará consultar um médico, o que demoraria muito mais tempo.

Dessa forma, um usuário poderia perguntar para seu computador algo simples como: Eu posso caminhar hoje no parque? E o sistema, sabendo o tipo de esforço requerido pela atividade, a condição climática do dia e o tipo de terreno do local, compara com o histórico de informações coletadas do paciente e verifica se o exercício naquele dia apresentaria qualquer forma de risco a ele. E aí então dá o seu aval ao paciente..

O relacionamento de I.A e diabetes eu certo

Na verdade, essa tecnologia já está sendo empregada hoje. Com o nome de Sugar IQ, o serviço oferecido pela empresa Medtronic, empresa especialista em inovações para saúde, une as suas tecnologias de monitoramento constante de glicose com um sistema de inteligência artificial em um aplicativo. O sistema funciona com o monitor de glicose inteligente da empresa, que fica acoplado ao abdome do paciente. O aparelho manda os dados monitorados por bluetooth para o smartphone do paciente, e eles são então analisados pelo software a fim de achar padrões relevantes para o cuidado da doença.     

 

Aplicativo de IA ajuda pacientes com diabetes

Image: divulgação

 

O app é apresentado pela empresa como o “ assistente de diabetes” e promete ajudar os seus usuários a verificar como os seus hábitos afetam o seu nível de glicose do sangue, ajudando a responder dúvidas que eles têm sobre a sua saúde e sobre como eles podem melhorá-la. Com o sistema o paciente também pode verificar como hábitos novos impactarão os seus níveis de glicose, ao pedir o monitoramento de coisas específicas como comidas e atividades.

O sugar IQ é um exemplo de como a Inteligência Artificial pode ser aplicada ao controle de doenças crônicas, ajudando o paciente a ter uma melhor qualidade de vida sem o uso intensivo de remédios e repetidas idas ao médico. Há ainda vastas oportunidades de aplicação de I.A e outras tecnologias no Healthcare. Quer conhecer mais sobre? Se inscreva aqui para acompanhar os nossos textos de inovação em saúde, e entre em contato conosco para saber como podemos ajudar você a inovar o seu negócio.

Amanda Watanabe atua no Inbound Marketing na TNH Health.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *