O Paciente precisa ser Paciente?

Charge ilustrando filas e a precariedade da saúde no Brasil

Fonte: Agência Brasil

A saúde no Brasil é paciente demais, mas já há Secretarias pioneiras na gestão de saúde, como em Marechal Deodoro(AL)

Por Raphael Mota *

Existe o senso comum que quem marca uma consulta no SUS ou em seu plano de saúde, precisa ser paciente e aguardar muito até que seja atendido e receba a informação que busca/procura. Em pesquisa do Instituto Datafolha a pedido do Conselho Federal de Medicina, 44% dos entrevistados afirmaram esperar mais de 1 ano para conseguir agendar uma cirurgia no SUS.

Não encontrar uma informação sobre saúde ou esperar na fila do SUS é uma realidade encontrada por muitos que não tem o acesso a saúde facilitado.  Em outro levantamento do Instituto Datafolha, a saúde foi considerada o principal problema no país segundo os brasileiros (33%) –  a frente da corrupção (18%) e desemprego (15%).

Porém, há iniciativas públicas que estão buscando contornar estas estatísticas.

Qual é a Secretaria que está se tornando uma referência nacional em saúde?

A Secretaria Municipal de Saúde da prefeitura de Marechal Deodoro no Estado de Alagoas, decidiu que a população não devia mais esperar. A cidade alagoana, passou por uma situação de enchentes, na qual utilizou os sistemas da TNH Health para difundir informações, identificar e monitorar pacientes suspeitos de doenças de veiculação hídrica, como a leptospirose. Só que a ação dos gestores não parou por aí.

Após superar esta situação de risco, os munícipes ganharam o direito de participar de outros programas de monitoramento e difusão de informações, como por exemplo programas relacionados ao bem-estar diário e ao monitoramento de pacientes diabéticos com foco em atenção primária. Em levantamento feito pela TNH no mês de Janeiro de 2018, observou-se que existem 1677 pacientes sendo monitorados nas 18 diferentes PSF (Programas de Saúde da Família), em 5 diferentes programas de acompanhamento divididos de acordo com o histórico e perfil do paciente.

Paciente e Agente de saúde em Marechal Deodoro fazendo campanha de saúde

Qual é o papel da TNH na saúde dos pacientes de Marechal Deodoro (AL)?

Ao contratar os serviços da TNH, ela espalhou para os munícipes informação de qualidade sobre saúde e prevenção por meio de chatbots – com rapidez e eficiência. Desse modo, possibilitando um novo canal de comunicação entre o poder público, a secretaria de saúde e a população.

Uma população que não era impactada, passou a ser conhecida e monitorada. Com a geração de dados para os gestores públicos, eles passaram a conhecer melhor as características da população e puderam realizar a tomada de decisões baseadas nas informações coletadas –  uma ação que pode acrescentar muito também em relação ao PMAQ.

O objetivo da tecnologia não é substituir o contato médico. Ele é essencial para a realização de procedimentos e a confirmação de sintomas. Porém, entende-se que a TNH health pode ser uma ferramenta de apoio importante para a gestão e o cuidado na saúde. E dessa maneira, diminuir o tempo de espera que os (im) pacientes hoje aguardam.

Descubra como a TNH Health pode ser implementada na sua cidade para criar um novo meio de comunicação com o poder público. Entre em contato!

* Raphael Mota é analista de dados na TNH Health. LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/raphael-mota-71624113a/

2 thoughts on “O Paciente precisa ser Paciente?

Deixe uma resposta para mateus Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *