Assistente virtual de saúde: como inovar no mercado de healthcare

31 jul

Enviando mensagem de texto no celular

Fonte: Agência Lemon6

Descubra o que são e muito mais sobre os robôs inteligentes para a saúde.

Por Leandro Racuia *

Já pensou que o seu corpo produz uma quantidade infinita de dados sobre a sua saúde? Hoje, o volume de informações que temos para cuidar da vida de um paciente ainda é bastante pequeno. Os exames que realizamos (ou devíamos realizar) ainda são a principal fonte de indicadores do nosso bem-estar, mas isso está mudando com a crescente demanda por novas tecnologias no setor de saúde.

Umas das inovações mais em alta no momento são os chatbots ou assistentes virtuais de saúde. Esta é uma aplicação que já está transformando as interações com pacientes e o modelo de atenção. Para o mercado de saúde já se estima que esses robôs vão movimentar R$20 bilhões até 2020 segundo a Accenture. Veja o que são e tudo que você precisa saber para usar essa tecnologia no seu negócio e obter melhores resultados.

O que é e não é um chatbot

Provavelmente você já conversou com um robô na internet, e o melhor, não notou. Os bots estão cada vez mais se tornando capazes de simular uma interação humana. Na prática, uma boa maneira de entender é pensar que são robôs capazes de conversar com uma pessoa, seja por mensagem de texto ou por voz.

Tecnicamente, são um software com inteligência artificial que performa atividades automaticamente em plataformas de conversa. Por exemplo, a Siri no Iphone, os efeitos gráficos no seu Instagram, os bots de marcas no Facebook. Vamos falar mais a frente sobre os tipos de bots!

Assim, para saber se você está interagindo com uma máquina inteligente, você pode fazer uma pergunta sobre um ponto ou dar uma instrução ao bot e ele será capaz de responder apropriadamente.

No entanto, a primeira crença que deve ser desfeita é que esses bots conversam exatamente como um humano – o que não é verdade. Embora haja alguns recursos de linguagem natural, isso ainda não é realidade. Assim, o objetivo final é alcançar esse nível de interação, mas ainda há muitas limitações técnicas.

Por isso, o desafio é ter certeza de que os usuários estão cientes estão falando sim com um robô, que possui uma personalidade própria divertida e engajante. Veja aqui regras de ouro para a sua própria plataforma de engajamento.

Mercado de saúde em foco

Tamanho da oportunidade

O mercado de saúde é um dos alvos mais evidentes para assistentes virtuais. Saúde digital já representa 28% do mercado de saúde no Brasil. Nesse contexto de saúde digital, usar chatbots é uma estratégia muito promissora em função do alto poder de alcance, da falta de infraestrutura e pelos robôs poderem ser articulados de acordo com diretrizes de órgãos nacionais e internacionais.

Além disso, quando pensamos em saúde, uma característica marcante é a desinformação. Os assistentes virtuais são uma grande oportunidade de se comunicar com as pessoas em canais acessíveis – como o Facebook e por SMS – e de forma como elas entendam, com linguagem amigável e divertida.

Por isso não surpreende que um estudo da Juniper Research estime uma redução de custos em saúde em aproximadamente U$3,6 bilhões até 2022.

Aplicações de sistemas inteligentes em saúde

Hoje, quase 30% das hospitalizações poderiam ser evitadas com atenção primária. Um dos usos de bots atualmente é exatamente acompanhar de perto e preventivamente pacientes, monitorando riscos em saúde, enviando dicas e alertando equipes multiprofissionais quando houver situações críticas.

Outro uso bem cotado para a tecnologia é a realização de serviços de SAC para otimizar o atendimento de pacientes, além de agendar exames, consultas e outros procedimentos.

De modo geral, duas tendências globais são observadas para os assistentes virtuais em saúde. A primeira  é usá-los para reduzir custos em saúde e aumentar potencialmente a eficiência operacional. A segunda é usar os bots para coletar dados sistematicamente de pacientes em paralelo a maior atenção para questões de compliance.

Um fator essencial que precisa ser colocado aqui é que os chatbots  são criados para auxiliar a intervenção humana! O grande segredo desta ferramenta é realizar tarefas de alto volume de forma ágil e relativamente personalizada para um time de profissionais, que vão usar as informações geradas para criar um diferencial competitivo.

Aplicações de Iinteligência artificial em saúde - destaque para assistente virtual de saúde

Fonte: Accenture em inglês

Tipos de assistente virtual de saúde

Primeiro vale a pena dizer que existem dois tipos de chatbots, baseados na natureza de como o bot opera. São eles:

Funcionamento por script: operam de acordo com regras e que possuem comportamento esperado de acordo com possibilidades predeterminadas de interação.

Inteligentes: utilizam princípios de inteligência artificial e conseguem ser mais flexíveis, podendo receber inputs não previstos dos usuários. Porém, apesar destes bots continuarem aprendendo com o uso, a capacidade de interação deles ainda é limitada e normalmente funciona melhor em campos de conhecimento bem delimitados.

Ambos os robôs conseguem ser utilizados em praticamente qualquer modelo de negócio e, ao contrário esperado, de forma rápida, simples e com excelente custo-benefício.

O futuro da ferramenta em saúde

Tudo indica que essa tecnologia está ganhando cada vez mais tração. Três fatores estão impulsionado isso: maturidade da tecnologia e melhorias nas funcionalidades; aplicativos de mensageria (Ex: WhatsApp) estão aderindo cada vez mais; a tecnologia permite maior ênfase na experiência de clientes individualmente.

Apesar de todas essa informações, implantar um bot no seu negócio é simples. Desenhar projetos e colocá-los em ação pode levar apenas 2 meses em um especialista, que já tenha knowhow e conheça as dores do mercado. Procure um criador de bots que entenda profundamente do nicho de mercado em que atua para alcançar o seu objetivo!

Para saber como criar esses assistentes virtuais em saúde e implementá-los, busque pela TNH Health, especialista em chatbots para gestão de saúde populacional.

* Leandro Racuia é o growth hacker da TNH Health.                                                LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/leandroracuia/.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *